Usabilidade pedagógica e design de interação na EAD

Defesa de Isabella Muniz (PUC-Rio, 2015)

Esta foi a defesa de doutorado da minha co-orientanda da PUC-Rio, a professora Isabella Muniz. Isabella desenvolveu uma consistente e aprofundada pesquisa envolvendo aspectos conceituais, metodológicos e práticos do Design de Interação aplicado à Educação a Distância, com contribuições à teoria da Usabilidade Pedagógica. Sua banca de defesa (na foto, pela ordem, os professores Guiseppe Amado, Eduardo Ariel, Gilda de Campos, Isabella Muniz, Sophia Roslindo, Luiz Agner e Luis Antonio Coelho) aprovou a sua tese com louvor. Parabéns, Isabella! Agradeço a você pelo convite da co-orientação e igualmente ao prof. Luis Antonio pela oportunidade que me deu de participar desta bela pesquisa.

A tese da Isabella tratou da interação mediada por ferramentas de comunicação e colaboração em ambientes virtuais de aprendizagem, dentro do contexto da educação a distância (EAD), partindo do olhar da usabilidade pedagógica e do design da interação. O estudo tem como objetivo localizar necessidades e questões que podem influenciar o uso de ambientes virtuais de aprendizagem para o planejamento e a implementação de estratégias pedagógicas colaborativas, a partir de relatos de docentes. Foram realizadas entrevistas não-diretivas com profissionais da EAD para fundamentar o desenvolvimento de cenários que serviram de temas para a técnica da entrevista baseada em cenários, com docentes tutores.

Os resultados expõem o crescimento do papel da tutoria em EAD nos modelos pedagógicos que propõem estratégias de ensino colaborativas, acarretando a necessidade de sistemas que apoiem as tarefas do tutor dentro dos ambientes virtuais de aprendizagem.

Palestra: usabilidade pedagógica na educação a distância (EaD)

Palestra proferida no congresso MoodleSaúde 2013, Recife/PE, um evento da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), o Campus Virtual em Saúde Pública, a Fiocruz e a Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS). Entre os seus principais objetivos, estão a reflexão sobre saberes e práticas pedagógicas, tecnológicas e o software livre associados à educação a distância; e o compartilhamento de experiências do uso e desenvolvimento da plataforma Moodle no campo da saúde.

Se você gostou deste post, provavelmente vai gostar destes outros.

Trabalho científico para o congresso da Educação a Distância – 2009

http://static.slidesharecdn.com/swf/ssplayer2.swf?doc=luizagnerabed2009-090918100624-phpapp02&stripped_title=congresso-abed-2009-usabilidade-pedaggica


Esta é a minha apresentação em ppt para um trabalho científico para o Congresso ABED 2009 (Associação Brasileira de Educação a Distância), que ocorrerá na semana que vem em Fortaleza.

Agradeço muitíssimo à Maria Poppe que, gentilmente, estará apresentando o paper em meu lugar, diante da impossibilidade da minha presença no evento.

RESUMO – Este artigo trata da metodologia usada na avaliação de uma experiência de implantação de interfaces gráficas para educação corporativa. O foco deste texto é o design de interfaces inovadoras, geradas a partir da customização especial do ambiente virtual de aprendizagem Moodle, e resultados colhidos desta experiência, que agregam significados ao conceito de usabilidade pedagógica. Com base em pesquisa de opinião tratada com a técnica de diagramas de afinidade, foram identificados os pontos mais sensíveis que impactaram a usabilidade pedagógica do material didático e que necessitaram de correção quanto ao design de navegação. Palavras-chave: educação corporativa, design, interface, usabilidade, programação visual.

ABSTRACT – This article explains the methodology applied in an experience of interface design for an online corporate education program issued by a big Brazilian statistics institute. The focus of this text is the interface innovation and graphic customization of Moodle learning system. The article presents some results of this experience as well as conclusions that add comprehension to the theoretical concept of pedagogical usability. Based on an online research whose data was treated using the technique of affinity diagram analysis we were able to detect most sensible interface problems which impact pedagogical usability of instructional material and we could effectively correct the navigation design.
Keywords: corporate training, education, interface, usability, visual design, instructional design.

Usabilidade pedagógica em pauta

Ultimamente, devido ao trabalho na área de e-learning, tenho me interessado muito por um conceito ainda incipiente no que tange à pesquisa científica, um novo viés da usabilidade – a usabilidade pedagógica.

O conceito difere da usabilidade técnica, já estudado por diversos autores – onde a facilidade de uso e de aprendizado é central. Usabilidade pedagógica pode envolver o estudo de questões complexas, baseadas em paradigmas da Educação.

O pesquisador Nokelainen estabeleceu critérios para mensurar a usabilidade pedagógica de materiais didáticos, com base em estudos empíricos que envolvem as dimensões: controle por parte do aprendiz, atividade do aprendiz, aprendizagem colaborativa, orientação aos objetivos, aplicabilidade, valor agregado, motivação, valor do conhecimento prévio, flexibilidade, e feedback.

Karevaara citou as pesquisas recentes em usabilidade pedagógica. Kukulska-Hulme e Shields, da Open University, mostraram que há quatro camadas na compreensão do conceito de usabilidade pedagógica: a camada contextual, a acadêmica, a geral e a técnica.

– A usabilidade contextual se relaciona a cursos e a disciplinas específicas;
– A usabilidade acadêmica trata de estratégias pedagógicas e questões educacionais;
– A usabilidade geral é comum à maioria dos websites e pressupõe fatores como clareza na navegação e acessibilidade;
– A usabilidade técnica trata de questões objetivas, como links quebrados e capacidade de resposta do computador servidor.

Se o grande desafio da EAD é manter a motivação dos alunos e envolvê-los em processos participativos, afetivos e interativos, o material didático precisa ser auto-explicativo e elaborado de modo a permitir e facilitar aos usuários intervir e controlar o curso da sua aprendizagem. Diante da escassez de metodologias direcionadas à avaliação da usabilidade de interfaces de cursos online, há a necessidade de adaptações e extensões dos métodos existentes de usabilidade.

Cada programa de EAD tem seu próprio leiaute e suas peculiaridades. Isso gera problemas tanto para os alunos quanto para a equipe de produção.

Daí a importância de se desenvolver um método de avaliação da EAD focalizando a usabilidade pedagógica.

Escola Virtual IBGE em fase beta

Tela da Escola Virtual IBGE

Tela da Escola Virtual IBGE

Até hoje, terceiro dia após seu lançamento, mais de duzentos alunos já se cadastraram no ambiente virtual de aprendizagem da Escola Virtual IBGE, preenchendo os seus perfis para fazer o curso de sensibilização O Que É EAD On-line. Por enquanto, o sucesso tem sido marcante, apesar de já sinalizar para a necessidade de diversos ajustes, como é natural, já que o ambiente colaborativo ainda está em fase de testes.

A interface gráfica do sistema foi customizada a partir dos recursos oferecidos pelo ambiente aberto Moodle, trabalho dirigido por nossa equipe de EAD e com a inestimável ajuda da E-Create.

Escola Virtual IBGE: finalmente no ar!

Escola Virtual IBGE

Finalmente entrou no ar, agora em plena operação, a Escola Virtual IBGE, projeto do qual faço parte, dentro da equipe da Escola Nacional de Ciências Estatísticas. O site e o ambiente virtual de aprendizagem (que utiliza o LMS de código livre Moodle), já pode ser conferido a partir do endereço escolavirtual.ibge.gov.br.

Com a EAD, alunos e professores podem estar em locais diferentes, de modo que as atividades de ensino e aprendizagem são realizadas por intermédio de diversas tecnologias de comunicação. A evolução da educação a distância (EaD) tem alterado o cenário da aprendizagem nas instituições, envolvendo a esfera acadêmica, corporativa e as organizações públicas, e o IBGE (uma organização espalhada por todo o País) é um exemplo disso, já que começa a trilhar esse novo e interessante caminho para desenvolver seus recursos humanos.

Escola Virtual IBGE

Logo - Escola Virtual IBGE

– Aprendizagem permanente
– Educação corporativa
– Formação on-line

Estas são idéias que estão revolucionando a vida de milhares de organizações no mundo inteiro. Na sociedade atual, dinâmica e globalizada, as exigências de formação para desenvolver capacidades e competências estão cada dia mais complexas, principalmente para as instituições públicas, que precisam apresentar serviços de qualidade. É nesse contexto que está surgindo a Escola Virtual IBGE, uma proposta de atualização permanente e continuada, rompendo as barreiras da distância através da educação online.

O anúncio (e o logo acima) foram criados por mim e pelo Fabio, e fazem parte do pré-lançamento da Escola Virtual IBGE, projeto no qual estou envolvido, como você pode ver pelos último posts deste blog.

Em pauta, a educação a distância e o design instrucional

14. Congresso Internacional de Educação a Distância 2008

14. Congresso Internacional de Educação a Distância 2008

Algumas fotos tiradas durante o 14. Congresso Internacional da Associação Brasileira de Educação a Distância, ABED. Sendo o primeiro evento que assisto ligado a esta área, fiquei impressionado com a atual dimensão desse mercado e a quantidade e qualidade dos trabalhos, livros e publicações já existentes sobre o tema. Está bombando! Destaque para os livros de Andrea Filatro sobre Design Instrucional.

Só que ainda há carência de revistas de comunicação científica ligadas especificamente ao assunto…

[Nas fotos, com Maria, Carly, Fabio, Mari, Priscila e Milton]

Ambiente virtual de aprendizagem

Interface gráfica da Escola Virtual

Como os três (agora quatro) leitores deste blog sabem, estou aqui na Escola Nacional de Ciências Estatísticas ajudando na elaboração de um interessante projeto de educação à distância, que pretende treinar e replicar conhecimentos para milhares de entrevistadores dos censos, da PNAD e de outras pesquisas domiciliares de campo.

Ultimamente, temos ralado às voltas com o processo de customização da interface gráfica do software Moodle, com o apoio de uma consultoria especializada na programação do sistema, em linguagem PHP.

O Moodle , para quem não conhece, é um software livre, de apoio à aprendizagem, um Learning Management System (Sistema de gestao da aprendizagem). O programa foi criado em 2001 pelo educador e cientista computacional Martin Dougiamas.

Voltado para programadores e acadêmicos da educação, o Moodle é um sistema de administração de atividades educacionais que suporta a criação de comunidades on-line, em ambientes voltados para a aprendizagem colaborativa.

Software livre, segundo a Free Software Foundation, é qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado, modificado e redistribuído. A liberdade é central ao conceito, e se opõe ao conceito de software proprietário.

O governo federal possui um site de discussão sobre o tema em
http://www.softwarelivre.gov.br.

No próximo post, vou falar um pouco sobre a pesquisa que orientou a criação dos ícones gráficos que compõem a interface visual.