Gratidão, Fred!

Fred Amstel, professor de UX design da UFTPR, escreveu o prefácio da quarta edição do “Ergodesign e Arquitetura de Informação – Trabalhando com o Usuário“. Com um time de prefaceadores assim, o que este livro precisa mais para ser um sucesso?  :))

Fred Amstel comenta sobre o livro "Ergodesign" no Linkedin

Fred Amstel comenta sobre o livro “Ergodesign” no seu Linkedin

UX Writing na M4U – Product Arena

  • Neste fim de semana, fiz um curso fantástico de Microcopy para UX, com o Bruno Rodrigues, maior autoridade no assunto, no evento Product Arena, promovido pelo amigo Horácio Soares. Com direito a sorteio e autógrafos do livro Ergodesign e Arquitetura de Informação – Trabalhando com o Usuário. Inesquecível!

M4U Product Arena Agner

 

O uso de dados de usuários e dispositivos de vigilância

O objetivo deste trabalho é analisar o modo de atuação do controle e do poder exercido pela vigilância digital na sociedade contemporânea. Para isso, é necessário compreender a evolução, a manutenção e a transformação dos dispositivos de poder a que os indivíduos foram submetidos, e como esses meios foram potencializados com a internet e os avanços tecnológicos, elevando o poder da comunicação como forma de gerenciar comportamentos sociais e de consumo.

Como o marketing online se tornou um instrumento de controle e de que modo isso afeta o comportamento social? Qual o grau da exposição dos indivíduos e de seus dados privados na rede? É possível mapear as novas tecnologias e sistemas regulatórios e ter ideia de sua amplitude, mas será que isso é suficiente para compreender toda a força da onda da vigilância?

Este artigo relata as evoluções dos dispositivos de vigilância — em especial, os tecnológicos associados à comunicação e à internet — e sua capacidade de desencadear desdobramentos que impactam na construção do modelo de sociedade distópica que estamos criando.

Artigo publicado na Revista Comum (Facha).

Marketing digital como instrumento de controle

Esta foi a minha apresentação realizada no Simpósio Nacional da ABCiber 2018, em Juiz de Fora, MG.

Nas mídias sociais, hoje em dia, qualquer pessoa pode postar os seus pensamentos. A capacidade de disseminar ideias não encontra-se mais limitada por uma infraestrutura centralizada e cara de broadcasting e mídias de massa. “Estaríamos vivendo a “Era de Ouro” da liberdade de expressão?” pergunta-se a tecno-socióloga Zeynep Tufekci, escritora e professora da Universidade da Carolina do Norte.  Nada disso! A coisa não é bem assim…

Atualmente, o limite da nossa liberdade de expressão vincula-se aos limites de nossa habilidade de captar a atenção das pessoas.  Só que esta capacidade está cada vez mais controlada por poucas plataformas e por seus algoritmos baseados em machine learning para espalhar a vigilância. O modelo de negócios dos gigantes da internet tem sido justamente captar a atenção de todas as pessoas, através de uma infraestrutura de vigilância massiva que nos faz clicar em anúncios automatizados.

Vamos abrir o olho… A situação em que vivemos é, na realidade, mais compatível com regimes autoritários, com a propaganda, a desinformação e a polarização, do que com o conceito democrático de liberdade de pensamento e expressão!

 

Luiz Agner: apresentação no ABCiber 2018.

Luiz Agner: Apresentação de artigo no simpósio ABCiber 2018.