Usabilidade pedagógica em pauta

Ultimamente, devido ao trabalho na área de e-learning, tenho me interessado muito por um conceito ainda incipiente no que tange à pesquisa científica, um novo viés da usabilidade – a usabilidade pedagógica.

O conceito difere da usabilidade técnica, já estudado por diversos autores – onde a facilidade de uso e de aprendizado é central. Usabilidade pedagógica pode envolver o estudo de questões complexas, baseadas em paradigmas da Educação.

O pesquisador Nokelainen estabeleceu critérios para mensurar a usabilidade pedagógica de materiais didáticos, com base em estudos empíricos que envolvem as dimensões: controle por parte do aprendiz, atividade do aprendiz, aprendizagem colaborativa, orientação aos objetivos, aplicabilidade, valor agregado, motivação, valor do conhecimento prévio, flexibilidade, e feedback.

Karevaara citou as pesquisas recentes em usabilidade pedagógica. Kukulska-Hulme e Shields, da Open University, mostraram que há quatro camadas na compreensão do conceito de usabilidade pedagógica: a camada contextual, a acadêmica, a geral e a técnica.

– A usabilidade contextual se relaciona a cursos e a disciplinas específicas;
– A usabilidade acadêmica trata de estratégias pedagógicas e questões educacionais;
– A usabilidade geral é comum à maioria dos websites e pressupõe fatores como clareza na navegação e acessibilidade;
– A usabilidade técnica trata de questões objetivas, como links quebrados e capacidade de resposta do computador servidor.

Se o grande desafio da EAD é manter a motivação dos alunos e envolvê-los em processos participativos, afetivos e interativos, o material didático precisa ser auto-explicativo e elaborado de modo a permitir e facilitar aos usuários intervir e controlar o curso da sua aprendizagem. Diante da escassez de metodologias direcionadas à avaliação da usabilidade de interfaces de cursos online, há a necessidade de adaptações e extensões dos métodos existentes de usabilidade.

Cada programa de EAD tem seu próprio leiaute e suas peculiaridades. Isso gera problemas tanto para os alunos quanto para a equipe de produção.

Daí a importância de se desenvolver um método de avaliação da EAD focalizando a usabilidade pedagógica.