A comunicabilidade da revista Veja nos tablets

O acesso a conteúdos jornalísticos a partir de dispositivos móveis cresceu significativamente nos últimos anos. São exemplos os aplicativos nativos desenvolvidos exclusivamente para smartphones e tablets. Nesta pesquisa, concentramo-nos na observação sistemática de processos de recepção e interpretação – a partir de abordagens que integram a Semiótica à Interação Humano-Computador, adequadas para avaliar mensagens de metacomunicação dos artefatos interativos.

Nossa atenção se voltou para a avaliação de publicações desenhadas para o jornalismo móvel, ao qual aplicamos o conceito de comunicabilidade. Este conceito relaciona-se à construção de uma linguagem para a interação e descreve a capacidade de um sistema interativo comunicar satisfatoriamente ao usuário a lógica do seu design. Como estudo de caso, avaliamos as interfaces do aplicativo da revista Veja para tablets.

Ao constatar sua deficiente comunicabilidade, concluímos que as abordagens metodológicas trazidas por especialistas em UX (normalmente ausentes das rotinas produtivas) podem vir a contribuir com uma visão cientificamente informada para o desenvolvimento de discursos interativos mais inovadores no jornalismo móvel.

Para saber mais, você pode baixar o artigo: Jornalismo para Tablets: O Aplicativo da Revista Veja sob a Ótica da Avaliação de Comunicabilidade das Interfaces Humano-Computador, apresentado no Intercom – XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Rio de Janeiro, RJ.

Os autores agradecem o apoio da FAPERJ – Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro e do Programa de Iniciação Científica da FACHA – Faculdades Integradas Helio Alonso.

Congresso HCI International em Los Angeles

REGISTRO – Minha apresentação oral no Congresso Human-Computer Interaction em Los Angeles, Califórnia, no dia 5 de agosto. Fotos de Adriana Chammas e Luiz Agner.

ABSTRACT – The present work aims to provide a contribution to the definition of new parameters to guide interface design and content publishing that will ensure the quality of gestural interaction in newspaper apps for tablets. Our case study is O Globo A Mais, a digital edition with unique content specially produced for iPad, launched by Rio de Janeiro ́s newspaper O Globo, one of the majors in Brazil. The research employed two techniques of qualitative emphasis: exploratory interviews and user observation focused on readers. We concluded that designers and journalists of O Globo A Mais should develop and refine their discourse to users through its gestural interfaces.

Link para o artigo publicado nos Anais do Human-Computer Interaction Conference 2015 – Los Angeles.

Luiz Agner - No Congresso HCI International 2015 - Los Angeles

No Congresso HCI International 2015 – Los Angeles

Luiz Agner - No Congresso HCI International 2015 - Los Angeles

No Congresso HCI International 2015 – Los Angeles

No Congresso HCI International 2015 - Los Angeles

No Congresso HCI International 2015 – Los Angeles

Artigo de Agner et all - No Congresso HCI International 2015 - Los Angeles

No Congresso HCI International 2015 – Los Angeles

No Congresso HCI International 2015 - Los Angeles

No Congresso HCI International 2015 – Los Angeles

Jornalismo para tablets: o aplicativo de Veja

O processo de convergência tecnológica impõe a sua lógica, que impacta fortemente todas as empresas de mídia. Diante da crise, estas procuram se adaptar, estendendo o seu conteúdo através de inúmeras plataformas e formatos, a exemplo dos chamados aplicativos nativos, desenvolvidos exclusivamente para os dispositivos móveis como smartphones e tablets.

Entre as manifestações que estão em desenvolvimento e expansão no campo jornalístico, focamos na avaliação das soluções desenhadas para o jornalismo móvel, com ênfase na sua recepção, onde aplicamos o conceito de comunicabilidade. Este conceito, que tem por base a Semiótica, relaciona-se à construção de uma linguagem para a interação e descreve a capacidade de um sistema interativo comunicar satisfatoriamente ao usuário a lógica do seu design.

Neste trabalho, avaliamos as interfaces gestuais do aplicativo da revista Veja para tablets, a partir do método de avaliação de comunicabilidade.

Veja o link para o artigo completo que será apresentado no Congresso de Design da Informação (CIDI).

Os autores agradecem o apoio da FAPERJ – Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro e do Programa de Iniciação Científica da FACHA – Faculdades Integradas Helio Alonso.

Treinamento mobile com pipoca

O que você acha de fazer um treinamento do Google comendo pipoca? É que no dia 10 de junho de 2015 o Google vai realizar um treinamento no cinema! O evento chama-se Mobile Day, um documentário produzido pelo Google com vários experts do mundo mobile, que apresentam a mobilidade como transformadora da vida das pessoas.
Read More

Seu site é mobile-friendly?

Hoje é um dia especial para a usabilidade móvel: 21 de abril de 2015!

#MobileMadness #mobilefriendly

A partir de hoje, a Google está implementando mudanças importantes nos seus algoritmos de busca em dispositivos móveis, onde priorizará em seus resultados os conteúdos mobile-friendly.

image

Read More

Presente no Google Experts

Página Google Developers Top Experts

Página Google Developers Top Experts -UX/UI - Luiz Agner

Gostaria de registrar que o meu perfil foi recentemente incluído no diretório Google Experts, na categoria UX/UI, juntamente com os de meus amigos pesquisadores Adriana Chamas e Adriano Renzi.

O diretório é uma rede global de estrategistas, designers, desenvolvedores e profissionais de marketing que apóiam startups e empresas que buscam inovar através da internet. Segundo a Google, os chamados Google Experts são profissionais de destaque em estratégias de produto, UX / UI, marketing e monetização.

Os membros do site Google Experts passam por rigoroso processo de avaliação, sendo indicados por funcionários da Google com base em suas contribuições para o seu campo de pesquisa. O programa é gerenciado pela Google Developers dando acesso a know-how e a uma rede de produtos, design e marketing.

Os Google Experts orientam empresários ajudando-os a projetar, desenvolver e distribuir seus produtos. Graças a seu apoio, startups de alto potencial e comunidades técnicas em todo o mundo constroem e lançam aplicativos inovadores em eventos como o Google LaunchPad, do qual participamos no Rio de Janeiro na qualidade de mentores de UX sob a liderança do especialista e palestrante israelense Jacob Greenshpan.

Aqui um vídeo que ilustra o estilo descontraído do evento Google Launchpad (neste caso em Londres):

UX no Seminário de Metodologia do IBGE

Esta foi a apresentação do artigo em co-autoria com a Patricia Tavares para o 3º Seminário de Metodologia do IBGE. O SMI foi realizado nas instalações do Centro de Documentação e Disseminação de Informações (CDDI) do IBGE no Rio.

O tema do evento foi “Desafios e oportunidades para a obtenção de dados“. Conferencistas nacionais e internacionais de reconhecida competência no tema principal participam do evento.

O Seminário de Metodologia do IBGE – SMI é um evento organizado anualmente pelo IBGE e tem por objetivo propiciar espaço e oportunidade para discussão e reflexão sobre os avanços, desafios e perspectivas da metodologia relacionada à produção de informações.

Também participou do SMI 2014 a minha ex-aluna da PUC-Rio Monique Tavares de Oliveira com o seu primoroso trabalho “Exitus: Interface Amigável para Questionários Utilizando Tablets em Entrevistas Estruturadas”, também abordando o tema da UX na coleta automatizada de dados em pesquisas com dispositivos de mão.

Jakob Nielsen sobre a usabilidade móvel

Jakob Nielsen

Jakob Nielsen, estudioso na área de usabilidade, concede uma entrevista e explica as regras de usabilidade móvel.

Segundo Nielsen, os aplicativos móveis ainda não são otimizados para tablets e telefones celulares.

Você pode ler ou ouvir a entrevista, é só escolher a sua opção aqui.

[Patricia Tavares]

Palestra: jornalismo digital nos tablets e a interação gestual

logo_ergodesign

foto-ergodesign

Os novos dispositivos tecnológicos e a Internet habilitaram novos modos de leitura que têm colocado em cheque as empresas de comunicação em todo o mundo. A circulação mundial de jornais impressos tem diminuído, segundo a Associação Mundial de Jornais e Editores de Notícias.

Exemplos recentes desta crise podem ser citados como o fim da edição em papel da tradicional revista norteamericana Newsweek após 80 anos, além da morte do Jornal da Tarde, de São Paulo, após 46 anos de uma marcante trajetória. Segundo dados divulgados no 64º. Congresso Mundial de Jornais, e publicados no Valor Econômico (10/9/2012), na América do Norte e Europa Ocidental, a circulação de jornais caiu 17% nos últimos cinco anos. Na América Latina, a queda foi cerca de 3%. Entre 2007 e 2012, a receita publicitária dos jornais caiu de US$ 128 bilhões para US$ 96 bilhões.

A Internet e as mídias sociais estão mudando o conceito e o processo de coleta e disseminação de conteúdo, colocando em risco o tradicional modelo de negócios do jornalismo impresso. Já há previsões de que os jornais impressos estarão extintos por volta de 2030 em quase todo o mundo.

A pesquisa procurou oferecer parâmetros para orientar o Design, a editoração visual e de conteúdos, e o processo de criação de interfaces, de forma a garantir a qualidade da interação gestual com os conteúdos noticiosos em tablets – respeitando-se as possibilidades, limitações e requisitos cognitivos do leitor imersivo.

Para ler mais sobre este tema acesse minha palestra no 13. Congresso Ergodesign e USIHC em Juiz de Fora, MG.

E se você gostou deste post, provavelmente também gostará desse aqui.

Avaliando interfaces gestuais no jornalismo digital


Estas são as conclusões de um trabalho apresentado em São Paulo, no Congresso Interaction South America, promovido pela IxDA.

O artigo teve o objetivo de apresentar aspectos de uma pesquisa em curso, que procura centrar-se na recepção e no consumo de novas formas de apresentação e leitura da informação jornalística, disseminadas com a introdução de tecnologias de interação baseada em gestos — discutindo-as e problematizando-as a partir da incorporação de conceitos e métodos de avaliação interdisciplinares.

As telas sensíveis ao toque hoje difundem notícias, fotos, infográficos, ilustrações, charges, anúncios, crônicas e editoriais que se tornaram dinâmicos, com a inclusão de áudio de qualidade, vídeos, animações, vibrações e fotografias manipuláveis, tudo com grande apelo estético e visual. O modelo de interação sensível aos gestos, adotado por essas máquinas, levantou a promessa de revolucionar a recepção e os requisitos de produção da linguagem jornalística. Mas não há certeza de que esta promessa será honrada pelas novas interfaces criadas ou por seu Design de interação.

Um dos objetivos do trabalho foi testar o aplicativo O Globo A Mais com uma amostra de jovens estudantes de Comunicação Social de uma universidade particular do Rio de Janeiro para a avaliação de suas interfaces gestuais. A pesquisa aplicou um método de observações com usuários, denominado Entrevistas Baseadas em Cenários e Tarefas (STBI – Scenario and Tasks Based Interview).

Como conclusão da observação de usuários e suas tarefas, podemos afirmar que algumas categorias de problemas, identificadas anteriormente por Norman e Nielsen, emergiram dos nossos dados de uso. A observação demonstrou que jovens representantes do tipo de leitor virtual que o jornal O Globo pretende atrair para o seu rol de assinantes digitais podem ficar expostos a dificuldades e constrangimentos ao interagir com o aplicativo, evidenciando que se sobressaem questões pendentes à editoração e ao Design, que podem ser associadas à inadequada visibilidade de affordances, à falta de feedback, ou à inconsistência do vocabulário gestual.

Até o momento podemos concordar com Donald Norman, quando este afirma que a recente corrida dos engenheiros de software e designers para desenvolver interfaces gestuais tem levado ao esquecimento de princípios e padrões sedimentados do Design de interação, embora as novas interfaces sejam esteticamente atrativas, excitantes e lúdicas, pontos que impactam positivamente a disposição e a satisfação do leitor.

Para quem se interessar em ler o trabalho apresentado na íntegra, segue o link:
Design de interação no jornalismo para tablets: avaliando interfaces gestuais em um aplicativo de notícias.

Não esquecendo ainda de agradecer muitíssimo aos meus alunos da Facha e da Puc-Rio que participaram desta avaliação e assinam o artigo comigo!

 Guilherme Santa Rosa, Cinhtia Kulpa, Luiz Agner e Robson Santos no Interaction SA 2012.

Os professores Guilherme Santa Rosa, Cinhtia Kulpa, Luiz Agner e Robson Santos no Interaction SA 2012.